Trabalhar com Cultura dá Voto sim!


Melissa Araújo Teixeira*
·        Historiadora, Pesquisadora em Patrimônio Histórico e Cultura Popular, Produtora Cultural,Técnica em Projetos e Captação de Recursos.
·        Contato: historiamelissa@yahoo.com.br

               
O título a cima, foi a resposta ou um desabafo como queiram, que fiz juntamente com um também produtor cultural amigo meu, quando conversávamos com alguns prefeitos e assessores destes durante um evento que produzimos juntos a um tempo atrás em uma cidade do cariri paraibano, quando estes nos questionaram que investir na cultura não dá voto. Na hora fiquei pasma com eles. Como poderia Prefeitos/Gestores pensarem tão pequeno? Fiquei indignada com tal questionamento mas logo  me coloquei no lugar deles, pois sei que nunca sabemos de tudo e não conseguimos valorizar aquilo que não conhecemos e nem sempre gestores entendem de cultura e sentem até dificuldade em trabalhar com ela.  Assim resolvi escrever um pouco sobre isso e talvez tirar as dúvidas de algumas pessoas que talvez não enxerguem a cultura como um elemento transformador da sociedade e detentora de muitos votos, mais muitos votos mesmo (digo de passagem), assim como um negócio lucrativo.
 Falávamos o quanto o trabalho com a cultura era mal interpretado por parte da sociedade que insiste em pensar que cultura é evento, e evento com banda de plástico ou forró eletrônico como queiram. Cultura é algo bem longe disso. Como existem pessoas que pensam que evento com forró de plástico é cultura? Socorro! Cadê a velha sanfona, zabumba e triangulo? O forró tradicional? Será que morrerá se não for resgatado a tempo? Este sim é cultura.
Mas o que é cultura mesmo? Cultura são os saberes e fazeres de um povo, o patrimônio histórico arquitetônico (aquele de pedra e cal que você meu caro leitor enxerga ao caminhar em sua cidade observando as construções antigas), patrimônio imaterial (que são as rezadeiras e benzedeiras, as danças a exemplo do inigualável Coco de Roda existente por este Brasil a fora e que se difere um do outro! Que louco! Mas não são danças iguais. Eles mudam de região para região já pensou? O que os torna únicos de lugar para lugar), e tantas manifestações que marcam o Brasil com um caldeirão cultural.
E como  dizer que isso não dá voto? O trabalho com o fomento e incentivo á cultura e serei mais ousada, aquele que é feito principalmente junto a cultura popular (não desmerecendo a cultura erudita), é a bola da vez. Não pensem que estou sendo tendenciosa (pois quem me conhece sabe que pesquiso sobre cultura popular e sabe ainda mais que sou apaixonada por ela. E acredito que ela deve ser valorizada e fomentada sempre! Pois é aquilo que está próximo de nós, do nosso dia a dia, no forró pé de serra que dançamos no São João, nas garrafadas que tomamos como remédio, nas comidas feitas de milho, no balançar da rede, na sandália de couro, no embolador de coco, no violeiro e em tantas manifestações da nossa cultura popular. Não critico quem valoriza o erudito, mas este é tipicamente europeu e caiu no Brasil de paraquedas com a chegada dos europeus as terras brasileiras.)
A cultura é a bola da vez! Valorizar aquilo que se tem na sua região, na sua cidade, na sua rua é a moda do momento. Qual comunidade não se sente feliz quando se percebe que aquilo que ela produz é valorizado por todos? Seja uma dança, um artesanato uma música? Qual o artista popular, qual o grupo folclórico não se sente feliz quando percebe que lhe é dada importância por seu trabalho realizado? Quando este percebe que a partir do momento que seu saber é valorizado sabe que ali a uma tentativa, uma possibilidade de fazer que o seu saber não desapareça. Por que no Brasil em algumas regiões ainda se tem dificuldade de se entender que trabalhar a cultura é algo importante e necessário? Ela é tão necessária quanto a saúde e a educação (Lembrando que para algumas pessoas a educação ou escola é algo inventado e a cultura sempre existiu ela sempre esteve ali, não precisou ser inventada!).
É tão simples e fácil trabalhar a cultura!É tão fácil fomentar aquilo que já é nosso. E com tão pouco se faz isso! Existem várias entidades que estão preocupadas com o trabalho com a cultura no Brasil. Temos desde bancos a exemplo do Banco do Brasil, Santader, Banco do Nordeste, Caixa Econômica Federal á entidades como BNDES, Petrobrás, CHESF, Eletrobrás e tantos outros. Poderíamos passar horas e horas conversando sobre como e onde buscar financiamento á cultura (a cultura de verdade! Pois estas entidades financiam apenas o que é autentico e tradicional). Mas você já parou para se perguntar porque essas entidades se preocupam com o fomento e incentivo a cultura? Porque investir na Cultura você investe no social! Entende? Você estará proporcionando oportunidades a homens, mulheres, jovens, crianças e desta forma proporcionando emprego e renda, contribuindo na diminuição da vulnerabilidade social, menos índice jovens infratores, menos índice de jovens usuários de substancias entorpecentes e assim estaria transformando a sua cidade, seu bairro e sua rua em algo melhor. Nenhuma empresa quer investir em algo que não tenha um retorno benéfico para ela. Ela quer associar o seu nome/imagem a algo bom. E trabalhando a cultura, até mesmo o turismo ela vai gerar a inclusão social e relacionando seu nome a algo satisfatório e benéfico! Além de projetar o local e sua empresa e fazer a economia circular na cidade. Por que alguns municípios do Cariri paraibano a exemplo de Cabaceiras, Taperoá, Monteiro e Boqueirão investem tanto na cultura e cresceram nos últimos anos? Porque Recife tem uma cultura forte?  Porque desde políticos, empresários ao morador mais simples da cidade sabe e reconhece a importância da sua cultura. E sabe que é importante a valorização da mesma e reconhece o seu papel como sujeito detentor dos saberes e fazeres da cultura.
Porque tantos políticos e empresários atualmente associam seu nome a trabalhos culturais? Ao fomento e incentivo a cultura? Por que isso é bom para a imagem deles porque cultura simplesmente dá voto aos políticos e visibilidade ás empresas! Porque a cultura trabalha vários elementos, como saúde, desempenho escolar e gera a inclusão social. Qual mãe e pai que não se sente orgulhoso em ver seu filho em uma aula de teatro, canto, dança, cinema? Por que sabe que seu filho terá oportunidade de ser uma pessoa melhor, por sabe que seu filho não estará nas ruas a mercê de drogas, violência, infrações e por que estará aprendendo algo que poderá usar na sua vida. Terá bom desempenho escolar por que para participar das atividades culturais terá que ter boas notas na escola, carteira de vacina em dia e etc. E que família não vê isso com bons olhos? Qual comerciante/empresário não gosta de ver o movimento em sua cidade quando há espetáculos ou qualquer tipo de evento cultural? Porque sabe que irá faturar um pouco mais, desde a venda de uma linha para a costura de uma roupa da peça teatral á salsicha que irá compor o cachorro quente que será vendido no evento. Fica claro agora por que cultura dá voto, fica claro porque que cultura dá visibilidade a empresas e geram emprego e renda e faz com que aqueça a economia local? Por que atualmente políticos e empresários relacionam sua imagem com a cultura? Porque estes reconheceram e entenderam  ela como algo lucrativo. Por que a cultura virou a menina dos olhos. A botija de votos e de faturamento empresarial. Assim acreditamos que atualmente a cultura começa a ser vista com outros olhos por algumas pessoas. E a tendência será aumentar cada vez mais os incentivo á cultura e o reconhecimento desta como algo valioso a ser trabalhado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

E-book grátis de precificação de artesanato!